Estudo sobre a “Geração de Ouro” do futebol português ganha prémio científico

Estudo sobre a “Geração de Ouro” do futebol português ganha prémio científico

As explicações para o sucesso de João Pinto, Rui Costa, Paulo Sousa, Fernando Couto, Luís Figo e companhia valeram a distinção máxima, na categoria História e Sociologia, nos Prémios Ciências do Desporto, uma iniciativa do Comité Olímpico de Portugal

Três décadas após o título mundial da seleção portuguesa de sub-20, em Riade, a que se seguiu um segundo em Lisboa, dois anos depois, em 1991, também sob a liderança técnica de Carlos Queiroz, um estudo sociológico sobre as razões por detrás deste sucesso arrecadou o primeiro prémio numa iniciativa do Comité Olímpico de Portugal (COP), em associação com a Fundação Millenium BCP, que distingue os melhores trabalhos científicos na área do Desporto.

Com base em entrevistas realizadas a 31 dos 34 jogadores campeões do mundo e outros protagonistas desses dois torneios, além de documentos da Federação Portuguesa de Futebol e jornais desportivos da época, os autores do estudo elaboram sobre um conjunto de alterações que acabariam por revelar-se determinantes, desde a criação de novos métodos de deteção de talentos precoces à própria metodologia de treino, passando pelo fomento de uma nova mentalidade competitiva nas deslocações ao estrangeiro.

Foram também atribuídas menções honrosas a “Será a morfologia da aponevrose proximal da longa porção do bicípete femoral um fator de risco para a rotura muscular?” da autoria de, de Sandro R. Freitas, Filipe Abrantes, Vasco Mascarenhas, Maurício Cerda, Raúl Oliveira, Bruno Mendes, Telmo Firmino e João Vaz, e Dimensão Educativa do Olimpismo: Revisão Sistemática da Literatura, de Cláudia Santos, Elsa Pereira e Margarida Mascarenhas

in Visão | 20/02/2019
Estudo sobre a “Geração de Ouro” do futebol português ganha prémio científico

Erasmus Incoming